Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

"A Falta de Vergonha"

 

Corrupção "eclodiu" no final do ano
  
Garcia Leandro, General/Presidente da OSCOT 

 

Corrobora que o crime violento aumentou em 2008?

 

A OSCOT - Observatório de Segurança, Criminalidade Organizada e Terrorismo a que presido - - apresentou em finais de Outubro, em Lisboa, um relatório que alertava para o aumento desse tipo de crime.

Os dados oficiais relativos ao primeiro semestre de 2008 demonstravam um aumento de 15% em relação ao mesmo semestre de 2007. Mas o Verão foi um período muito mais violento e a questão é se esse acréscimo foi um fenómeno sazonal, se se manteria ou se poderia decrescer.

Foi possível apurar a tendência?

Aferimos a confiança das pessoas na segurança interna em duas sondagens. A de Março e a de Setembro foram similares, a única diferença foi a preocupação com a criminalidade violenta e o crime contra o património.

As causas podem ser identificadas?

Em Fevereiro de 2008 escrevi no "Expresso" um artigo de alerta para o perigo da exclusão social e que era apenas a ponta do icebergue e agora é repetido por Mário Soares, Manuel Alegre... E depois há o aumento da criminalidade económica-financeira, que é algo trágico e o que nos faltava! Não tenho dúvidas de que a terceira sondagem revelará as consequências dos crimes de colarinho branco.

Os assaltos a bancos, a gasolineiras e a supermercados são crimes muito diferentes das fraudes bancárias que já não se deve à exclusão social.

É corrupção ao mais alto nível, mas tem enormes consequências porque abala a confiança no sistema financeiro e bancário, passa para a economia e para a sociedade e reflecte-se na segurança.

E o que se pode fazer?

Há dois tipos de actuação: a prevenção e a repressão. As forças de segurança estão a juzante, actuam quando as coisas estão a correr mal. Desde Setembro que o MAI tem tomado as medidas correctas, ao actuar por antecipação: com mais controlo sobre os gangues, melhor troca de informações... Não dão resultados imediatos, mas são medidas adequadas.

 

Defende que a prisão preventiva volte ser aplicada a crimes com moldura penal até três anos e não cinco, como prevê o Código Processo Penal (CPP)?

A lei das armas vai introduzir uma correcção nessa matéria. Quem recorra ou ameace com arma já pode ficar sujeito a prisão preventiva. Todos os especialistas da área jurídica concordaram ter havido uma certa precipitação nesse ponto da revisão do CPP.

 Fonte:

 

 

 


 

Por Vezes Acontece ....
 
O alerta foi dado em tempo útil.
O que se fez desde então para estancar o fenómeno ?
O que fez o Banco de Portugal enquanto entidade reguladora e fiscalizadora do sector ?
Passividade é o termo correcto.

Infelizmente a "profecia" do General Garcia Leandro concretizou-se .

 

"O modo como se tem desenvolvido a vida das grandes empresas, nomeadamente da banca e dos seguros, envolvendo BCP e Banco de Portugal, incluindo as remunerações dos seus administradores e respectivas mordomias, transformou-se num escândalo nacional, criando a repulsa generalizada.
É espantosa a reacção ofendida dos responsáveis políticos quando alguém denuncia a corrupção, sendo evidente que deve ser provada; e se olhassem para dentro dos partidos e começassem a fazer a separação entre o trigo e o joio? Seria um bom princípio! Corrija-se o que está errado, as mordomias e as injustiças, e a tranquilidade voltará, porque o povo compreende os sacrifícios se forem distribuídos por todos."
:
publicado por @k às 22:39
| comentar | favorito

Muita atenção......

Experts on the move: Be vigilant!

Experts on the move: Be vigilant! www.sonakar.com Thx to the sender

Publicado por Sonakar.Com em Domingo, 1 de Novembro de 2015

Notícias....

free counters

O TEMPO QUE PVA

Nota:

Algumas das imagens e textos utilizados no Por Vezes Acontece.... são provenientes de várias fontes, designadamente, orgãos de comunicação social, sites, blogues e motores de busca, e sempre que possível com a identificação do seu autor. Se alguma entidade se sentir lesada ou não permitir a utilização de algum conteúdo, comunique-me por favor [porvezesacontece@gmail.com] e o mesmo será prontamente retirado. Por Vezes Acontece .... agradece desde já a atenção dispensada.