Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



(In)cidentes...

por @k, em 15.04.09

 

 

 

Oficial da PSP destrói carro em despiste

Direcção Nacional instaurou processo disciplinar a subintendente Jorge Barreira,  comandante do Metropolitano de Lisboa para apurar as causas do acidente com "carro de função".

O carro de serviço do comandante do Comando Metropolitano de Lisboa da Polícia de Segurança Pública (COMETLIS), Jorge Barreira, ficou completamente destruído num acidente de viação na última semana de Março durante a madrugada. A viatura era conduzida pelo próprio Jorge Barreira que, segundo apurou o DN junto de fonte conhecedora do processo, teria álcool no sangue.

A Direcção Nacional da PSP, através do seu porta-voz, comissário Paulo Flor, confirmou ao DN o acidente com o "carro de função" do COMETLIS, garantindo que o oficial estava em serviço e que foi feito um teste de álcool, embora não revele o resultado. O oficial assumiu ainda que o comandante está a ser alvo de um processo disciplinar para "avaliar causas e pressupostos" do acidente.

Ao que o DN apurou, Barreira seguia ao volante de um Ford Mondeo azul-escuro (matrícula de 2008), fora de serviço, e com ele viajavam duas mulheres que não pertencerão aos quadros da PSP. O acidente terá acontecido na zona de Leiria. A viatura "sofreu um acidente e despistou-se, tendo ficado completamente destruída", afirmou ao fonte ligada ao processo, acrescentando que os três ocupantes "sofreram ferimentos ligeiros, mas não foram conduzidos ao hospital".

O porta-voz da PSP disse ao DN que o acidente "foi tratado como um qualquer acidente de viação". Paulo Flor argumentou que o oficial "foi sujeito ao teste de alcoolemia", mas não revelou os resultados do mesmo. Contudo, o oficial da Direcção Nacional contraria a indicação de que se trata de um Ford Mondeo, "o veículo é de outra marca" e "não transportava civis". Segundo Paulo Flor, o acidente também "ocorreu noutra região que não Leiria"..

A fonte do DN garantiu que o carro acidentado foi transportado para o depósito da PSP, em Alfragide, Lisboa, onde ainda se encontra, à espera da decisão sobre a sua eventual reparação.

O acidente com o carro de serviço, fora da área de actuação do COMETLIS, levantou um coro de indignação na PSP, disseram ao DN. "Há falta de viaturas na PSP, sobretudo na investigação criminal e continuamos a ver muitos oficiais com carros de serviço a usá-los fora das horas de trabalho e longe dos locais onde as viaturas deveriam operar", referiu um alto responsável da PSP. "Em casos em que a culpa é do condutor, é este quem acaba por suportar os custos com a reparação", sublinhou.

A falta de viaturas no serviço operacional é confirmada pelo presidente da Associação Sócio Profissional da PSP. Segundo Paulo Rodrigues "as viaturas são canalizadas para a investigação criminal pela Direcção Nacional mas muitas acabam por ser desviadas para outros fins o que prejudica o normal funcionamento desta área", concluiu.

Acidentes com carros descaracterizados das forças de segurança fora de horas e sem justificação não são inéditos.

 

Basta relembrar que, em 2003, o então comandante da Brigada de Trânsito da Guarda Nacional Republicana (GNR) de Portalegre sofreu um acidente com um Subaru Impreza pouco depois de ter saído de uma discoteca. O carro foi rebocado para uma oficina particular e acabou por ser reparado a expensas do comandante.

 Fonte:

 


 

Por Vezes Acontece....
A falta de informação em tempo útil, só aproveita única e exclusivamente à especulação.
A  antecipação a este fenómeno, deveria ser uma norma nos Departamentos de Relações Públicas das forças de segurança, porque caso contrário, os grandes prejudicados serão sempre os visados e as próprias Instituições a que pertencem. 
Por Vezes Acontece....
Espera que ao invés de outros inquéritos a decorrer neste País, este decorra com a tranquilidade necessária, sem pressões de qualquer natureza, e que obtenha para bem do/s interessado/s, uma conclusão célere.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:19



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D