Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



  

 

Por Vezes Acontece....

Após análise efectuada ao documento, a  ASPP está contra o novo Projecto de Estatuto para os Profissionais da PSP,  que será aprovado na próxima reunião do Conselho de Ministros, que ocorrerá na quinta-feira (02Jul2009).

Por coincidência... ou talvez não, é o dia de aniversário da PSP.

A ASPP diz inclusivamente que este Projecto final, é ainda pior para os profissionais da PSP, que os anteriores.

PVA disponibiliza o documento, para que possa ser consultado por todos os interessados.

EstatutoPSP-29JUN2009[1]

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 23:14

Pausa....

por @k, em 14.06.09

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:38

 

 

Da alma e de quanto tiver
Quero que me despojeis,
contanto que me deixeis
Os olhos para vos ver.

Acha a tenra mocidade
Prazeres acomodados,
E logo a maior idade
Já sente por pouquidade
Aqueles gostos passados.
Um gosto que hoje se alcança,
Amanhã já não o vejo;
Assim nos traz a mudança
De esperança em esperança
E de desejo em desejo.
Mas em vida tão escassa
Que esperança será forte?
Fraqueza da humana sorte,
Que quanto da vida passa
Está receitando a morte!
....

 

Mudam-se os tempos, mudam-se as vontades,
Muda-se o ser, muda-se a confiança;
Todo o mundo é composto de mudança,
Tomando sempre novas qualidades.
Continuamente vemos novidades,
Diferentes em tudo da esperança;
Do mal ficam as mágoas na lembrança,
E do bem, se algum houve, as saudades.

O tempo cobre o chão de verde manto,
Que já foi coberto de neve fria,
E em mim converte em choro o doce canto.

E, afora este mudar-se cada dia,
Outra mudança faz de mor espanto:
Que não se muda já como soía.

 

Luís Vaz de Camões

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 17:39

 
MAI controla 'google' da informação criminal
O Governo criou um 'google' da informação criminal, que permite, por via informática, a um polícia saber o 'cadastro' que todas as forças de segurança têm sobre um suspeito. Informação em segredo de justiça também vai estar no sistema e o facto do acesso à rede ser gerido pelo MAI está a levantar acesa polémica.
 
Foi ontem aprovada, na generalidade, apenas com os votos favoráveis do PS, a proposta de lei do Governo para a criação de um autêntico "google" da informação criminal. A "plataforma para o intercâmbio" vai permitir ligar as bases de dados policiais das principais forças de segurança - PJ, PSP, GNR e SEF - e que cada uma tenha acesso, à velocidade de um motor de busca da Net, à informação que as outras têm sobre um suspeito que estejam a investigar.
A importância desta partilha de dados, que constitui o Sistema Integrado de Informação Criminal (SIIC), é indiscutível para o combate à criminalidade, mas o facto de a rede informática por onde vai passar toda esta informação (a Rede Nacional de Segurança Interna), que inclui dados em segredo de justiça, ser gerida no Ministério da Administração Interna (MAI) alarmou os deputados da oposição e a Polícia Judiciária.
"O MAI está a ocupar o espaço da investigação criminal e da Justiça", alerta Carlos Anjos, da Associação Sindical de Investigação Criminal da PJ. Este investigador entende que "a gestão do SIIC a partir do MAI é uma clara tentativa de subjugar o Ministério Público, que fica a depender do MAI para ter acesso à informação". Fernando Negrão, do PSD, e ex-director da PJ, sublinha que "o Governo nem sequer apresentou os pareceres, que propunha no seu diploma, dos Conselhos Superiores de Magistratura e do Ministério Público".
Carlos Anjos duvida da "legalidade" da localização em instalações do MAI deste sistema. "Em tese", explica, "passa a ser possível um utilizador saber quem são as pessoas referenciadas em determinadas investigações. Mesmo ficando registado quem acedeu abusivamente, quando isso for descoberto já a investigação pode estar comprometida".
Apesar de estarem previstos na lei mecanismos de controlo dos acesso à rede (ver P&R ao lado), a segurança do sistema e a fiscalização dos acessos é matéria de grande preocupação.
O Governo propõe que esta fiscalização seja feita pela Comissão Nacional de Protecção de Dados (CNPC), mas os deputados duvidam da sua capacidade. "A Comissão tem três inspectores para fiscalizar todas as bases de dados do país e se eu quisesse que um sistema deste tipo não fosse fiscalizado era mesmo a CNPD que eu escolhia, pela falta de meios", destaca Nuno Magalhães do CDS-PP.
O CDS propõe que a inspecção à utilização do SIIC seja feito por uma comissão com representantes parlamentares e que apresente à Assembleia um relatório anual. O PCP pede que seja uma "autoridade judiciária" a fazê-lo. Paulo Pereira de Almeida, professor de Segurança Interna do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa, considera que "uma fiscalização eficaz é absolutamente fundamental no actual quadro de partilha de informações" e que "seria uma boa oportunidade para, tal como acontece noutros países, criar uma agência independente, com competências técnicas e operacionais, para auditar esta bases de dados".
Fonte:   

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 18:40

 

Alerta do supervisor da banca alemã
Lavagem de dinheiro actual faz de Al Capone um aselha
Os métodos de "lavagem" de dinheiro hoje existentes a nível mundial "são tão sofisticados que fariam Al Capone parecer um aselha", afirmou hoje o presidente da Agência de Controlo da Banca alemã (Bafin).
Jochen Sanio afirmou, numa conferência em Berlim, que em comparação com as elevadas somas de dinheiro "lavado" infiltradas no circuito monetário - que segundo o Fundo Monetário Internacional atingem um bilião (um milhão de milhões) de dólares (cerca de 705 mil milhões de euros) por ano - os valores que o Estado consegue apreender "são ínfimos".
Na opinião de Jochen Sanio, a falta de cooperação a nível internacional facilita a tarefa dos criminosos, embora a Alemanha não seja o principal palco das "lavagens" de dinheiro, mas provavelmente o país onde ele chega já com aparência legal.
No mesmo fórum, o presidente da Polícia Judiciária Alemã (BKA), Joerg Ziercke, adiantou que os criminosos transferiram a "lavagem" de dinheiro para a Internet, e fazem negócios através de cartões de crédito ou de cartões pré-pagos de empresas como a Webmoney ou a Moneybookers, que podem adquirir anonimamente em muitos países.
Outro método é misturar dinheiro ilegal com dinheiro legal e aplicá-lo em jogos de azar nos casinos que pululam na Internet, e transferir depois os ganhos "lavados" para contas bancárias dos criminosos, através de firmas offshore.
A evolução tecnológica "limita cada vez mais a operacionalidade dos criminalistas, que deparam também com obstáculos territoriais, porque a sua jurisdição cessa normalmente nas respectivas fronteiras", advertiu Ziercke.
Segundo o chefe da BKA, em 2008 o número de queixas-crime por delitos monetários desceu 20 por cento, para 7350, na Alemanha, números semelhantes ao ano anterior, sem que, no entanto, haja indícios de que a "lavagem" de dinheiro diminuiu.
Mesmo assim, Ziercke considerou que há algumas tendências positivas, como o reforço da segurança dos processos de Online Banking (transacções bancárias através da Internet).
A expressão "lavagem de dinheiro" remonta ao lendário "gangster" norte-americano Al Capone, que nos anos 20 do século XX, investiu em lavandarias elevadas somas obtidas de formas ilícita, através do jogo, da chantagem, da extorsão ou da venda de bebidas alcoólicas durante a chamada "Lei Seca".
Fonte:    -
 

Por Vezes Acontece....
Mudam-se os tempos....aperfeiçoam-se as técnicas

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:52


Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D