Saltar para: Posts [1], Pesquisa e Arquivos [2]



 

 

 

Rio de Janeiro à beira de 'banho de sangue' - Sol

 

O Rio de Janeiro pode viver nas próximas horas um «banho de sangue sem precedentes na história», disse à Lusa o deputado estadual Marcelo Freixo, actuante na defesa dos direitos humanos e contra a corrupção de agentes de segurança.

«Queremos evitar ao máximo a morte de pessoas e o banho de sangue. Estive pessoalmente com o secretário de Segurança para achar mecanismos para rendição», declarou o historiador Marcelo Freixo, do Partido Socialismo e Liberdade (Psol).

Freixo foi o responsável pela instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Milícias e foi o segundo mais votado nas eleições de outubro deste ano.

O comandante-geral da Polícia Militar do Rio de Janeiro, coronel Mário Sergio Duarte, pediu aos traficantes que controlam o Complexo do Alemão que se rendam para evitar mais violência, antes da entrada de centenas de policiais que mantêm cerco ao conjunto de favelas.

Dezenas de traficantes que há dois dias foram expulsos pela Polícia, com o apoio de blindados da Marinha, da Vila Cruzeiro, buscaram refúgio no vizinho Complexo do Alemão, cujos acessos estão sob controlo de policiais e militares do Exército.

 

 


 

PVA....

 

Os nossos camaradas brasileiros, em horas extraordinárias e trabalhos forçados....

Espera-se e deseja-se, que consigam devolver a segurança e tranquilidade pública, ás populações residentes naquelas favelas no mais curto espaço de tempo, e já agora.... sem "baixas".

A nossa solidariedade para com eles.

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:07

VIOLENCIA DOMÉSTICA - II

por @k, em 14.11.10

 

 

Violência doméstica volta a matar mais este ano Nos primeiros dez meses do ano foram assassinadas em Portugal pelo menos 30 mulheres vítimas de violência doméstica, mais uma do que em 2009.

Em 20 por cento dos casos, os homicidas, normalmente maridos das vítimas, mataram uma segunda pessoa, quase sempre um filho. Contabilizando todas as situações, são pelo menos 36 as vítimas mortais em contexto de violência doméstica este ano no país.

As vítimas passam grande parte da vida sujeitas a maus tratos  As contas foram feitas pelo PÚBLICO a partir de todas as ocorrências noticiadas este ano, mas Maria José Magalhães, presidente da União de Mulheres Alternativa e Resposta (UMAR), admite que as vítimas possam ser mais. "O número não chega às 40 mulheres assassinadas, mas é superior a 30", afirma, acrescentando que o Observatório de Mulheres Assassinadas da UMAR ainda está a compilar informações.

 As vítimas, na maioria com idades entre os 30 e os 40 anos, passaram parte da vida sujeitas aos maus tratos dos maridos ou companheiros. Algumas chegaram mesmo a apresentar queixa na polícia, mas acabaram, mesmo assim, por ter um fim trágico.

Os homicidas são, em mais de 70 por cento dos casos, maridos ou namorados das vítimas.

Nas restantes situações, ou tinham tido uma relação amorosa com a mulher que assassinaram ou eram familiares próximos.

Mais de metade dos homicidas tem entre 40 e 60 anos e apenas dois são jovens na casa dos 20 anos.

Segundo Maria José Magalhães, é "o próprio ciclo da violência", que vai aumentando até que a agressão se torna fatal, que conduz ao final trágico.

Mas também há um padrão comum nos crimes de situações que funcionam como rastilho.

O divórcio ou a ameaça de pôr fim à relação foram, em 30 por cento dos casos registados este ano, os motivos do crime.

E os ciúmes e as suspeitas de traição representam outros 20 por cento das situações.

Para a responsável da UMAR, é o sentimento de posse obsessivo do homem em relação à mulher que o leva a não suportar a ideia da separação ou de uma traição e a cometer o crime.

Lei por potenciar Maria José Magalhães não percebe como não foram evitados os crimes nos casos em que as vítimas apresentaram queixa às polícias.

O problema, sublinha, é não haver, antes de o crime ser cometido, "uma acção imediata, a fim de obrigar o agressor a manter-se afastado da vítima, nomeadamente a prisão".

"O sistema judicial tem de ser mais preventivo e não agir depois da tragédia, quando as pessoas já estão mortas", defende. Para a secretária de Estado da Igualdade, Elza Pais, o problema reside essencialmente no facto de o sistema de protecção ser novo.

"A protecção das vítimas tem pouco mais de meio ano e é natural que não se potencie a aplicação da lei" em tão pouco tempo, explica.

Ainda assim, a secretária de Estado sublinha que, nalgumas situações, as medidas deram frutos.

"Há casos em que as mulheres não morreram por terem sido protegidas.

Neste momento temos 1533 mulheres e crianças em casas de abrigo" para vítimas de violência doméstica, diz Elza Pais.

Apesar de admitir que muito tem sido feito no combate à violência doméstica, nomeadamente com a criação das casas-abrigo e centros de atendimento e através de alterações legislativas importantes - a violência doméstica passou a ser crime público e o sistema de vigilância electrónica foi alargado aos agressores -, a presidente da UMAR considera que o caminho que falta percorrer ainda é longo.

"É preciso regulamentar o resto da lei e aplicá-la", diz, acrescentando que cada vez mais é necessário apostar na educação sobre a questão da violência doméstica logo desde a infância.

 

 

 


 

PVA...

 

O tema é recorrente na sociedade portuguesa..... por isso mesmo, nunca é demais voltar a falar deste assunto...

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 15:01

CIMEIRA DA NATO - LISBOA 2010

por @k, em 12.11.10

 

 

  

Cimeira da NATO em Lisboa realiza-se nos dias 19 e 20 de Novembro de 2010, na FIL, Parque das Nações, em Lisboa. É uma reunião com os 27  líderes da União Europeia e membros da NATO, que terá como temas crais de debate a proliferação das armas de destruição maciça e o terrorismo, tendo como objectivo reforçar a aliança transatlântica.

A par da Cimeira da Nato decorre também a Cimeira EUA-UE, um encontro que se realiza anualmente e que conta com a presença dos líderes da UE e dos EUA.

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos da América vai estar presente na Cimeira da NATO  e na Cimeira EUA-UE, em Lisboa.

Esta é a primeira Cimeira organizada por Portugal desde a entrada em vigor do Tratado de Lisboa. São esperadas mais de 5000 pessoas, entre delegações oficiais e jornalistas.

O Governo concedeu tolerância de ponto no concelho de Lisboa no dia 19 de Novembro.

 

Programa provisório da Cimeira da Nato em Lisboa 2010

 

Sexta-feira, 19 de Novembro

  • Reunião de Chefes de Estado e de Governo
  • Conferência de imprensa
  • Jantar de trabalho dos Chefes de Estado e de Governo
  • Jantar de trabalho dos Ministros dos Negócios Estrangeiros
  • Jantar de trabalho dos Ministros da Defesa

 

Sábado, 20 de Novembro

  • Reunião de Chefes de Estado e de Governo
  • Reunião Força Internacional de Assistência para a Segurança – ISAF
  • Reunião OTAN-Rússia

 

 

 

 

 


 

PVA.....

 

O autor deste espaço, também vai estar na próxima semana, empenhado na segurança desta Cimeira.....

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

Tags:

publicado às 22:10


Mais sobre mim

foto do autor