Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]



BURLA NA INTERNET - VÍRUS

por @k, em 21.10.12

Aviso que aparece no computador 'infetado', supostamente da PSP (no quadrado a  negro no topo superior esquerdo da imagem é mostrada a cara do utilizador, uma  vez que a webcam do computador é ativada)

 

Burlões usam imagem da PSP, Multibanco e Correios          

Internautas são levados a pagar para um desbloqueio do computador desnecessário.

O pior é que emitem meios de pagamento utilizáveis em todo o mundo.

 

Os computadores com ligação à Internet estão a ser atacados de  um vírus que bloqueia os equipamentos, faz crer que se trata de um procedimento  da PSP e induz os utilizadores a pagaram 100 euros através de meios eletrónicos - para esse efeito apresenta os logos do Multibanco e dos CTT.

O objetivo dos burlões, além de quererem obter dinheiro  rapidamente, é a obtenção de 'vouchers' que podem ser utilizados em todo o  mundo, explicou ao Expresso fonte dos Correios. A PSP emitiu hoje um comunicado  na internet a alertar para esta burla, no sentido de minimizar potenciais  burlados.

Este tipo de ataque de vírus é recorrente, e tem aparecido por  vagas, diz Sérgio Magno, chefe de redação da revista "Exame Informática" que  explica: "É uma prática comum que tenta concretizar o 'rapto' de um computador e  induz a um pagamento eletrónico para desbloquear o computador alvo do  ataque".

"Estes vírus utilizam nomes de instituições credíveis - bancos,  o IRS, a PSP - e induzem as pessoas a fazerem pagamentos por meios eletrónicos  credíveis, recorrendo à imagem de redes bem conhecidas dos portugueses, como o  Multibanco ou os Correios-CTT", refere Sérgio Magno.

"Nas situações mais conhecidas, os computadores que centralizam  estas burlas informáticas estão sediados em países africanos, mas é difícil  atuar legalmente, de forma eficaz, para conseguir ressarcir os lesados",  considera.

Burlões não escolhem nacionalidade

A burla, que pode induzir ao pagamento de 100 euros através de  meios eletrónicos e está afetar a rede portuguesa, é praticada através de um  vírus informático que bloqueia os computadores, apresenta-se em forma de alerta,  identificando-se com sendo de um departamento de combate ao cibercrime da PSP,  que a emitiu para declarar a deteção de uma atividade ilegal no computador em  causa.

 

"Esta burla informática apela a um pagamento que pode ser feito  através de 'vouchers' adquiridos previamente, que servem para realizar  pagamentos na Internet e são emitidos por empresas especializadas, de que são  exemplos a Ukash e a Paysafecard", disse ao Expresso fonte oficial do grupo  CTT.

Em Portugal, estes meios de pagamento podem ser adquiridos em  vários locais, como por exemplo nas estações de Correio, nos agentes Payshop ou  nos caixas Multibanco. Estes 'vouchers' são equivalentes a meios de pagamento à  ordem, são moeda eletrónica".

Introduza o PIN...

Acontece que, "quando a pessoa que é objeto de burla, depois de  adquirir o 'voucher', introduz o PIN individual no referido site, está a  dar, sem o saber, a possibilidade ao burlão de usar esse 'voucher' em compras online, em sites que os aceitam", referem os CTT.

 

"Neste tipo de situações, o próprio utilizador tem um papel  importante, devendo tentar confirmar com as autoridades policiais, as entidades  financeiras ou na própria Internet a veracidade destes pedidos de pagamento",  aconselham os Correios, comentando que, "como em situações de fraude no mundo  físico, a informação e a cautela são sempre bons conselheiros".

 

No entanto, depois de ser efetuado a emissão do 'voucher',  concretizando o pagamento, o indivíduo burlado tem muita dificuldade em  conseguir anular a emissão do pagamento. Explicam os Correios que "a deteção  destas situações é dificultada porque o uso final do 'voucher' não é do  conhecimento de quem disponibiliza esse instrumento, uma vez que os 'vouchers'  são meios de pagamento basicamente semelhantes ao dinheiro em espécie que se  levanta num banco".

 

Os CTT dizem estar "sempre disponíveis para colaborar com  quaisquer entidades, incluindo autoridades policiais, de modo a desmantelar este  tipo de situações e também a contribuir para a literacia informática da  população".

Ataques esta semana

No comunicado emitido pela PSP, é referido que "nos últimos  dias estão a ser disseminados pop ups com o logótipo da PSP (Direção  Nacional) e com instruções para pagamento", por suposta violação da lei de  "direitos de autor e direitos adjacentes" e ou por divulgação de "conteúdos  pornográficos proibidos".

Refere o comunicado da PSP que estes ataques informáticos,  "além de conterem uma identificação gráfica mais credível e cuidada, possuem  ainda indicadores que induzem os utilizadores em erro, ativando inclusive a webcam do PC, levando o utilizador a acreditar que está a ser  monitorizado.

 

Os utilizadores são ainda informados que os atos praticados  constituem um crime ou uma contra ordenação punível com 'multa', sendo intimados  a procederem a um pagamento monetário para desbloquearem o computador".

Como se livrar do vírus burlão

O próprio comunicado da PSP dá indicações sobre o procedimento  que deve ser seguido para eliminar estes vírus. Sugere que o utilizador do  computador pessoal deve entrar no computador em "Modo de Segurança" e a seguir  deve abrir o menu iniciar\todos os programas\arranque.

 

"Aqui encontrará um atalho para um ficheiro executável, cujo  nome é constituído por um grupo de números e letras e que terá que ser  eliminado", refere ainda, aconselhando os passos seguintes para proceder à sua  eliminação:

 

 "aceder a C:\Documents and Settings\nome do utilizador\Menu  Iniciar\Programas\Arranque (no caso do windows XP)ou C:\Users\nome do  utilizador\Menu Iniciar\ Programas\ Arranque (no caso do windows 7)".

 

Diz a PSP que "nesta pasta deverá remover o ficheiro atrás  referido.

 

Após a remoção do ficheiro, deverá voltar a: menu iniciar\todos os  programas\arranque, deverá selecioná-lo com a tecla direita do rato e  eliminá-lo. Poderá iniciar agora o seu computador normalmente", remata o  comunicado da polícia.

 

Fonte:

 

{#emotions_dlg.ninja}

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 22:00



Mais sobre mim

foto do autor